Tecnologia

Mal das pernas, Magalu fatura mais em marketplace do que em lojas físicas – Negócios – Blog Cursos de Qualidade

Curso Código Milinário

[ad_1]

O Magazine Luiza registrou um volume de vendas maior em seu marketplace do que em lojas físicas pela primeira vez na história da empresa, marca alcançada em fevereiro de 2022. Entretanto, a varejista também amargou um prejuízo líquido ajustado de R$ 79 milhões no último trimestre de 2021. Desde o pico da cotação de seus papéis na bolsa, a companhia perdeu R$ 146 bilhões em valor de mercado.

Loja do Magazine Luiza (Imagem: Divulgação/Magalu)

Magalu e concorrentes querem marketplace reforçado

Mesmo encerrando o ano no vermelho, o Magalu afirma que as vendas totais por meio de todas as suas plataformas — o que inclui sites como Kabum! e Netshoes — tiveram crescimento de 30% no 4º trimestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. No total, foi registrado um faturamento de R$ 56 bilhões.

Em seu balanço financeiro, a empresa destaca que o marketplace quadruplicou em dois anos e chegou a vender R$ 13 bilhões em 2021. No ano passado, a plataforma exclusiva para vendedores terceiros ficou atrás das lojas físicas quanto ao faturamento bruto por apenas R$ 3 bilhões. E a tendência é de crescimento, já que essa marca foi ultrapassada em fevereiro.

O Magalu enxerga o marketplace como um carro chefe para alavancar o crescimento da empresa no futuro. A varejista ressaltou que fechou 2021 com 160 mil vendedores, que oferecem mais de 60 milhões de ofertas. No ano passado, a companhia criou o Parceiro Magalu para facilitar a captação de novos vendedores à plataforma.

O marketplace é, na verdade, uma tendência que acompanha o crescimento do setor de e-commerce no Brasil, que cresceu 68% em 2020, segundo dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Em um ranking divulgado pela entidade, em abril do ano passado, o Mercado Livre lidera o segmento de plataformas de vendedores, seguido por Americanas e Amazon. O Magalu aparece em 5º, logo à frente do AliExpress.

Mesmo com crescimento acumulado de 332% nos últimos dois anos, o marketplace do Magalu perdeu posições no ranking da ABComm: a Amazon passou a varejista no setor de vendas 3P, e foi de 5º lugar para a 3ª colocação.

Ações do Magazine Luiza caem após resultado financeiro

Mesmo com a receita recorde do marketplace, o Magalu enfreta uma maré negativa. Na segunda (14), quando o resultado financeiro foi divulgado, bancos analisaram que os dados ficaram abaixo das expectativas do mercado. O Goldman Sachs afirmou em relatório que as receitas ficaram 7% abaixo das estimativas, enquanto o XP diz que as estatísticas decepcionaram o consenso do mercado.

Na terça-feira (15), os papéis do Magalu estavam sendo negociados a R$ 8,47 por ação, o menor valor desde outubro de 2018. Após a abertura da Bovespa, em São Paulo, houve uma desvalorização de 10%; hoje, os títulos tiveram alta de 3,79% e estão sendo negociados a R$ 5,75.

Com informações: Veja, Valor e NeoFeed

[ad_2]

Fonte Notícia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo