Educação

Ensino Médio: não faz ideia da área que quer seguir? Saiba como escolher os itinerários formativos – Notícias

Curso Código Milinário

[ad_1]


O novo ensino médio já está valendo e com ele mudanças na maneira de estudar e aprender. A principal é a escolha dos itinerários formativos — um conjunto de disciplinas e projetos que os estudantes podem escolher direcionados a carreira que pretendem seguir. 


R7 ouviu professores e reúne dicas para ajudar aqueles que ainda estão na dúvida na escolha desses itinerários. Veja:


O que um estudante deve observar antes de escolher os itinerários formativos?


“Os itinerários formativos são a grande novidade de 2022 para os alunos do ensino médio e como estão sendo desenhados de acordo com os objetivos de aprendizagem de cada eixo estruturante, há uma variedade muito interessante de conteúdos que podem ser trabalhados em cada um dos itinerários”, explica Écia Sales, especialista pedagógica  da escolas Luminova.


O professor Moisés Domingues, diretor de Ensino do Colégio Miguel de Cervantes também explica que o aluno deve observar, em primeiro lugar, a afinidade que tem pelos itinerários oferecidos pela escola, “se faz sentido, se é relevante para a concretização de seus projetos e, principalmente, se o estudante, poderá participar ativamente do processo de ensino-aprendizagem, se ele poderá atuar como coautor do curso.” 


Um aluno que não faz ideia de área ou carreira que pretende seguir, o que deve fazer?


Para responder a essa pergunta, a especialista dá as seguintes dicas:


– Entender o que agrada, quais são as preferências e aptidões, como o aluno se vê no futuro, quais são os pontos fortes e fracos, e o que gostaria de desenvolver naquele momento da vida é uma boa forma de iniciar o processo de escolha;


– Conversar com a equipe pedagógica da escola para entender a fundo as competências que serão desenvolvidas em cada Itinerário e como esse conteúdo poderá direcionar a escolha profissional;


– Ouvir os amigos e os familiares pode ajudar a entender quais são as características mais marcantes do estudante e até mesmo quais habilidades podem ser desenvolvidas daqui para frente;


– Buscar profissionais das áreas pode também ajudar a esclarecer como é o dia a dia em cada profissão. Conversar com um engenheiro, por exemplo, pode ajudar a entender como está o mercado de trabalho hoje em dia, quais habilidades são necessárias para ser um profissional de sucesso e quais áreas do conhecimento farão parte do cotidiano.


Como destaca Domingues, esse é um “processo de autoconhecimento e de conhecimento da realidade”, é o momento do estudante  fazer uma reflexão e “identificar suas potencialidades, interesses e habilidades.” 


Gosto de Matemática e História? Posso fazer todos os itinerários formativos? Como escolher se quero exatas ou humanas?


A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e a própria proposta do novo ensino médio sugerem que as escolas trabalhem de maneira interdisciplinar, o que significa que os itinerários devem ser propostos por essa perspectiva.


“O novo ensino médio prevê que o aluno amplie sua visão de mundo e que os conceitos sejam menos fragmentados. “Se o novo ensino médio se tornar uma realidade no Brasil como é previsto, teremos um ambiente escolar planejado para um estudante autônomo e crítico, que saberá que gosta de Matemática e História e poderá fazer articulações entre essas duas áreas do conhecimento”, avalia Domingues.


“É importante enfatizar que não há certo ou errado na escolha do Itinerário e é perfeitamente normal e aceitável mudar de ideia no decorrer do ano”, explica Écia. “O mais bacana do novo ensino médio é justamente a possibilidade de conhecer a fundo algumas áreas de conhecimento para que o momento da escolha da carreira seja mais certeiro e consciente.”


[ad_2]

Fonte Notícia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo