Guerra na Ucrânia: a corrida para salvar tesouros artísticos do país em meio à invasão russa

Publicidade

[ad_1]

Crédito, Getty Images

Legenda da foto,

A Ucrânia abriga sete locais que são patrimônio mundial da Unesco, entre eles a Catedral de Santa Sofia, em Kiev

O vídeo mostrava uma fila ziguezagueando do lado de fora do Museu de Belas Artes de Odessa, na Ucrânia. Era domingo, 20 de fevereiro, e, talvez pela última vez, homens, mulheres e crianças aguardavam para observar os seus tesouros: 10 mil obras de arte do século 16 em diante, incluindo as primeiras pinturas do pioneiro da arte abstrata, o russo Wassily Kandinsky, que morou em Odessa. Apenas quatro dias depois, a Rússia invadiu a Ucrânia.

Agora, como muitas outras cidades em todo o país, Odessa prepara-se para ser atacada. Foi fundada por Catarina, a Grande, no final do século 18, com sua arquitetura do século 19 perfeitamente preservada e bela ópera em estilo neobarroco. A diretora em exercício do museu, Oleksandra Kovalchuk, fugiu para a Bulgária para garantir a segurança do seu filho, de um ano de idade. Mas ela está terrivelmente abalada.

“Sinto-me uma traidora”, afirma ela. “Decepcionei a minha equipe. É claro que me sinto culpada. O Museu de Belas Artes de Odessa tem sido um filho para mim há muitos anos, de forma que foi basicamente uma decisão sobre qual filho eu queria abandonar. Decidi que sou obrigada a cuidar do meu filho pequeno.”

Crédito, OFAM

Legenda da foto,

O Museu de Belas Artes de Odessa está se preparando para a possibilidade de ser atacado

Publicidade

Na capital ucraniana, Kiev, a diretora de outro museu, Olesia Ostrovska-Liuta, tomou uma decisão diferente, mas igualmente difícil. Ela permaneceu, embora diga que “a situação dos museus e instituições culturais não é diferente dos hospitais, escolas e áreas residenciais”. “Estamos todos sob bombardeio.”

[ad_2]

Fonte Notícia

Publicidade