Educação

Nerva lança e-scooter elétrico com 16,1 cavalos

Curso Código Milinário

[ad_1]

O mercado de automóveis está sempre inovando com novas tecnologias e também cada vez mais pensando na sustentabilidade dos negócios. Com isso, agora chegou a vez dos carros e motos elétricas. Assim, a nova scooter elétrica, Nerva EXE, foi lançada pela startup espanhola Nerva Mobility, em parceria com a marca chinesa de carros, BYD. Com isso, ela promete boa concorrência.

Leia mais: Wee: o carro elétrico que promete ser o mais barato do Brasil

Os modelos elétricos estão vindo com tudo, e as scooter parecem ser o modelo perfeito para adentrar nesse mercado. A Nerva EXE tem um visual muito diferente e que chama atenção dos compradores. No entanto, ela está custando em torno de 3.380 euros (aproximadamente R$ 20 mil), o que pode não ser muito atrativo para alguns.

A Nerva EXE e suas características

Essa scooter tem aspectos que a caracterizam como um modelo esportivo, tendo 16,1 cv (cavalos) e uma autonomia máxima de 150 km no modo Eco (econômico). No entanto, o tempo que demora para carregar e o seu peso, já que é uma maxi scooter, ou seja, não é um veículo leve, são fatores que podem prejudicar as suas vantagens na concorrência.

Sendo assim, o fabricante espanhol aposta nos equipamentos modernos, como a iluminação full LED, suporte para dois capacetes e uma bolha que protege do vento. Além disso, a Nerva EXE tem a capacidade de se movimentar rapidamente por causa do seu motor, que permite uma aceleração de 0 a 80 km/h em 10.5 segundos.

De acordo com a Nerva Mobility, o novo modelo pode atingir uma velocidade máxima de 125 km/h, além de contar com duas baterias de 5,76 kWh. Esse números condizem ao modelo de lançamento sport, mas também conta com um modo normal que se limita a 80 km/h, bem como um Eco que chega a 50 km/h.

Baterias mais seguras

No entanto, um grande diferencial do modelo Nerva EXE são as suas duas baterias de fosfato de lítio em ferro. As substâncias que compõem essa bateria são classificadas como mais seguras e com uma estabilidade maior em relação às de íon-lítio que eram usadas anteriormente. Além disso, elas garantem uma maior durabilidade, capaz de chegar perto de 6000 ciclos.

[ad_2]

Fonte Notícia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo