Mundo

Sites russos são hackeados nesta segunda: “Parem com essa loucura”

Curso Código Milinário

[ad_1]

Sites de vários meios de comunicação russos foram invadidos nesta segunda-feira (28/2), a medida que as tropas do país avançam sobre a Ucrânia e tentam tomar o controle da capital Kiev.

Segundo a agência Reuters, ao acessar as páginas, era possível ver uma mensagem que condenava o conflito entre Rússia e Ucrânia, que chega ao quinto dia desde a invasão ao território ucraniano em 24 de fevereiro.

“Caros cidadãos. Pedimos que parem com essa loucura, não mandem seus filhos e maridos para a morte certa. [O presidente russo Vladimir] Putin está nos forçando a mentir e nos colocando em perigo”, dizia o texto.

0

Entre os sites afetados estavam a agência de notícias estatal russa Tass e os sites de notícias rbc.ru, kommersant.ru, fontanka.ru e iz.ru. Todos exibiam a mensagem em suas páginas iniciais.

De acordo com alguns meios de comunicação da Rússia, a mensagem é de autoria Anonymous, grupo internacional de hackers que invade criminosamente arquivos na internet desde 2003.

No sábado (26/2), o site oficial do governo russo, o Kremlin, saiu do ar. Ao visitar o endereço do governo russo na internet, uma mensagem dizia que não é possível acessar o site. A queda da página oficial foi resultado de uma série de ataques cibernéticos feitos a endereços do governo russo e da mídia estatal.

Países tentam negociação

As delegações da Rússia e da Ucrânia se reúnem, nesta segunda, na tentativa de negociar um possível cessar-fogo do conflito entre os países. É a primeira vez que representantes das duas nações se reúnem desde que a Rússia deu início ao conflito. O diálogo ocorre na fronteira da Ucrânia com Belarus.

Para o governo ucraniano, além de uma interrupção do conflito, o objetivo da reunião é negociar uma saída das tropas russas que invadiram seu país.

Já o governo russo de Vladimir Putin disse esperar que as conversas comecem imediatamente, mas não quis abrir quais são os objetivos do encontro.

Mapa de ataques russos à Ucrânia terceiro dia

[ad_2]

Fonte Notícia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo