Educação

Possibilidade de dinheiro extra por aí! O governo pretende liberar o FGTS

Curso Código Milinário

[ad_1]

Diante da situação econômica do país, a liberação do fundo de garantia de alguns trabalhadores pode ser uma saída para a movimentação do mercado brasileiro. Geralmente, quando os ministros da economia tomam tal atitude, o objetivo central é permitir uma movimentação do mercado consumidor .

Assim, o governo prevê a liberação de quantias entre R $500 e R $1 mil reais para cerca de 40 milhões de trabalhadores brasileiros. Confira!

Veja mais em: FGTS 2022: Caixa divulga novas datas de pagamentos para os próximos dias

A liberação do FGTS

Como parte das suas medidas de reeleição, o ministro da economia, Paulo Guedes, disse que prevê a liberação de mais uma rodada do fundo de garantia para alguns trabalhadores. Estima-se que cerca de 40 milhões sejam beneficiados com essa medida.

Desde 2019 o governo vem liberando quantias ativas e inativas do FGTS. No primeiro ano, por exemplo, quantias de até R $500,00 foram liberadas de contas inativas para os trabalhadores. Já no ano de 2020, auge da pandemia, pode ser feito o saque de até R $1045,00.

A principal ideia do ministro é que as pessoas usem essas quantias para pagar dívidas. De acordo com ele, muitas pessoas estão endividadas e poderiam ver esse dinheiro como uma forma de livrar o nome.

Já está tudo certo?

Para que ocorra a liberação é necessário que o presidente Jair Bolsonaro assine uma medida provisória autorizando o saque pelos trabalhadores. Caso ocorra, será a terceira vez que o presidente libera o saque do fundo de garantia.

Atualmente o saque do FGTS só pode ser feito em momentos extremos, como demissão por justa causa, em caso de doenças graves ou em casos de calamidade pública.
Por fim, quando há a liberação do FGTS, ele impacta diretamente na economia de diversas formas. Uma delas é a recuperação do PIB, já que as pessoas tendem a comprar mais e isso fortalece o setor de serviços. É uma reação em cadeia que prevê um avanço econômico.

[ad_2]

Fonte Notícia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo